Marinhais > Badajoz – Dia 1 – De Marinhais até Mora (23-04-2014)

Saída de Alverca às 7h30 de automóvel de três elementos da equipa que foram até Marinhais onde nos esperam as nossas bicicletas e o 4º elemento, o nosso anfitrião.
Depois de devidamente equipados para a chuva que se fazia sentir e de lubrificar bem as nossas meninas, lá saímos nos por volta das 9h30 rumo à aventura que se estenderia por três dias.
O nosso quarteto saiu animado, sob algumas gotas de águas que nos acompanharam na meia hora inicial do percurso. A primeira paragem aconteceu na pequena, mas bonita localidade chamada Aldeia do Peixe, onde aproveitamos para tirar umas fotos e comer algo ligeiro. De seguida passamos junto ao lindíssimo canal do Sorraia, onde o trilho acompanha durante alguns Kms o canal de rega, sempre rodeados de vegetação, o que fez com que o canto dos pássaros fosse a nossa banda sonora. Ao final da manhã, chegamos a Coruche, onde aproveitamos para almoçar umas bifanas, de forma a não perdermos muito tempo.
O resto da tarde foi passado a percorrer a ecovia ainda dentro do Ribatejo com muita areia e boa disposição. Ao final da tarde, chegamos ao Alentejo, onde rapidamente constatamos que as famosas planícies Alentejanas são feitas com muitas subidas e descidas, o que acabou por provocar alguma mossa no nosso grupo. 
Mas a boa noticia é que ao chegamos aos arredores de Mora o nosso “António Augusto” decidiu ir visitar um tio que nos recebeu com um entusiasmo e simpatia contagiantes. O que nos levou a descansar e a provar a boa gastronomia da zona, sempre bem regada a condizer.
Despedidas feitas, seguimos em ritmo moderado até ao centro de Mora onde iriamos passar a noite e jantar, dando assim por terminado o nosso primeiro dia desta grande aventura.

Os últimos preparativos antes da saída em Marinhais

A partida sob um ambiente húmido e patriótico

Primeira paragem na Aldeia do Peixe, com direito a foto

O canal do Sorraia dá sempre belas fotos

…Não é verdade?

Em Coruche, algumas dificuldades antes de conseguir almoçar…

Depois do almoço a disposição já era outra…

A meio da tarde as pontes pareciam muito confortáveis. 


“António Augusto”, o Rambo de Alverca. J

Lamaaaaaaaaa...

Uma visitinha aos tios do “António Augusto”, antes de entar em Mora.

No final do dia e do jantar, altura para escrever o relatório, à moda antiga.

Comentários